casta padeiro

                      

Casta de pouca expansão na região, sendo cultivada particularmente na sub-região de Basto, aparecendo também nas sub-regiões do Ave e do Cávado, tendo aqui como sinónimos 'Tinto Matias' e 'D. Pedro'.

Particularidades Ampelográficas:

Folha adulta grande, verde-claro, lisa, mole e quinquelobada.

Cachos grandes e frouxos.

 

Aptidão Cultural e Agronómica:

Abrolhamento: Média, mais 11 dias do que o 'Castelão'

Floração: Média, mais 4 dias do que o 'Castelão'

Pintor: Precoce a Média, mais 9 dias do que o 'Castelão'

Maturação: Média

Casta de vigor médio e pouco rústica. Com um índice de fertilidade médio, com uma a duas inflorescências por ramo, dá cachos grandes e frouxos, o que torna esta casta muito produtiva. Pouco sensível à podridão dos cachos mas sensível ao stress hídrico.

Potencialidades Tecnológicas:

Produz mostos naturalmente ricos em açúcares e pouco ácidos, dando vinhos de cor vermelha rubi a granada, de aroma e sabor à casta que lembram frutos vermelhos (morango e framboesa) e na boca revelam-se harmoniosos e saborosos.

Utilizada em vinhos tintos de lote e em rosados estremes.

a pesquisar